(Resenha) O Último Chefão

Mario Puzo, de O Poderoso Chefão, com o que faz melhor: escrever sobre a máfia.

O Último ChefãoO Último Chefão conta a história da última grande família criminosa dos Estados Unidos, chefiada por Domenico Clericuzio.

A fim de garantir o futuro de sua família na legalidade, Don Clericuzio investiu pesado no jogo legalizado em Las Vegas. Seu sonho era deixar a família protegida e bem encaminhada para que, no futuro, não fosse mais necessário cometer crimes e sua família pudesse se integrar na sociedade americana completamente.

Com hotéis em Las Vegas e alguns investimentos em Hollywood, o sonho do velho Don estava perto de se tornar realidade, exceto por um segredo do passado. Afinal, para uma família italiana, o único mandamento mais precioso do que o do silêncio – a omertá – é o da vingança, e Don Clericuzio quase vê seu sonho se desfazer em pedacinhos quando um crime do passado volta a assombrá-lo.

Além do tema vingança, o autor leva a um passeio interessantíssimo sobre como funciona a indústria do cinema em Hollywood. É um romance maduro e mais bem escrito que O Poderoso Chefão.

Dica do LeVo: Não leia O Último Chefão logo depois de ler O Poderoso Chefão. O livro é muito bom mas, quando comparado com O Poderoso parece que falta alguma coisa.

Essa alguma coisa que falta são as cenas fortes e a grande quantidade de ação.

Já que, os Clericuzio, ao contrário dos Corleone, estão tentando deixar a vida de crimes, a narrativa de O Último Chefão tem um ritmo completamente diferente.

 

Ficha Técnica:
Título: O Poderoso Chefão
Título Original: The Last Don
Autor: Mario Puzo
Tradução: Geni Hirata
Editora: Record

 

Leia também:
(Resenha) O Poderoso Chefão